segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Veja o que muda ou pode mudar na vida do brasileiro a partir de 2014

Salário mínimo aumentou, e mais brasileiros vão pagar Imposto de Renda. Viagem ao exterior, carros e móveis ficam mais caros; ônibus pode ficar.

Arte G1 (Foto: Divulgação -- Arquivo Pessoal/Raphaela Gomes -- Reprodução Globo News -- Luiz Claudio Barbosa/Futura Press/Estadão Conteúdo)
O salário mínimo vai passar de R$ 678 para R$ 724 a partir de janeiro, um reajuste de 6,78%, comemorou a presidente Dilma Rousseff em seu Twitter. Leia mais

Como o salário aumentou, e a tabela do IR não acompanhou na mesma proporção, mais brasileiros vão pagar imposto em 2014. Leia mais


A viagem do brasileiro no exterior também fica mais cara, com aumento no IOF para saques fora do país e cartões pré-pagos. Leia mais


O imposto sobre os automóveis aumentou em dezembro, e o consumidor começa a sentir os efeitos em janeiro. Leia mais



A alíquota de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para móveis e painéis também aumenta em janeiro. Leia mais


O governo voltou atrás e manteve para 2014 a obrigatoriedade de freios ABS e airbag para carros novos. Leia mais


Os planos de saúde terão de cobrir exames para 29 doenças genéticas. Leia mais



Os planos de saúde no Brasil também terão de cobrir o custo de 37 medicamentos orais contra o câncer a partir de 2 de janeiro. Leia mais


O Sistema Único de Saúde vai oferecer vacina contra HPV para meninas de 11 a 13 anos a partir de março. Leia mais


Em São Paulo, agora é obrigatória a cota em concursos públicos para negros. No país, ainda depende de uma lei federal. Leia mais


A velocidade mínima da banda larga vai passar a ser de 80% na média mensal e de 40% a instantânea, em novembro de 2014. Leia mais


O que ainda está pendente:

O governo federal quer implantar gradativamente o eSocial, uma folha de pagamento digital dos funcionários de todo o país, para controlar as obrigações fiscais das empresas aumentando a arrecadação. Leia mais



Várias prefeituras mantiveram ou reduziram as tarifas após uma onda de protestos, mas o assunto volta à pauta em 2014. No Rio, o prefeito já admitiu o reajuste. Leia mais


Um decreto regulamentou a aposentadoria especial para a pessoa com deficiência, mas ainda depende de uma portaria para valer. Leia mais

Com informações publicadas no G1

Um comentário:

  1. Primeiramente gostaria de agradecer, pois o seu blog tem me ajudado muito, pois pretendo construir uma casa para minha família em um condomínio,aí começa o problema, esta semana fui ao cartório e me informaram que o terreno é fração ideal e o número da matrícula é o mesmo para todos os lotes.Meu objetivo inicial é financiar uma parte da construção, e parece que terreno por ser fração ideal os bancos não aprovam financiamento da construção.O que você me aconselha,existe alguma forma de individualizar a matrícula, ou outra forma de conseguir financiamento? O terreno é excelente, mas já estou pensando em desistir do negócio.Agradeço sua atenção e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir